Nota de repúdio à LGBTfobia

Leia nota aprovada no 46º Encontro Descentralizado da Região Sul que denuncia caso de homofobia sofrida por assistente social

Os/as assistentes sociais reunidos/as no 46º Encontro Descentralizado da Região Sul, realizado entre os dias 3 e 6 de agosto de 2017, em Florianópolis (SC), vêm a público denunciar um caso de violência homofóbica cometida dentro da casa noturna “1007 Floripa”, na madrugada deste domingo (6/8), contra um dos participantes do Encontro e integrante da delegação paranaense.

Condenamos veementemente a agressão e repudiamos qualquer tipo de preconceito e discriminação, e atitudes violentas como esta vêm aumentando a cada dia, diante do avanço do conservadorismo fascista contra a comunidade LGBT.
Os atuais mecanismos legais, em total desrespeito aos direitos humanos, não reconhecem estes atos de LGBTfobia como crimes, tornando as violências invisíveis e passíveis de impunidade.
Nós, assistentes sociais, profissionais que buscam a garantia de direitos nas suas diversas expressões, não podemos nos calar frente a este ato cruel e violento.
Reafirmamos nossa indignação, manifestamos nossa solidariedade a todos e todas que sofrem LGBTfobia e ressaltamos nossa luta permanente por uma sociedade que respeita e garante os direitos os humanos.

Florianópolis (SC), 6 de agosto de 2017
Assistentes sociais participantes do 46º Encontro Descentralizado da Região Sul

Esta nota foi elaborada durante o 46º Encontro Descentralizado da Região Sul, onde os/as participantes decidiram também que a mesma será socializada nas redes sociais e encaminhada às entidades de direitos humanos e de segurança de Florianópolis e de Santa Catarina, juntamente com o documento Bandeiras de Luta do Serviço Social, construído coletivamente pelo Conjunto CFESS-CRESS e que aponta para direção de uma nova sociabilidade e de defesa dos direitos humanos.